Trending

PGR pede ao Supremo para investigar se Bolsonaro incitou golpistas


Avesso a agendas públicas desde que perdeu a eleição, presidente acompanhou a posse dos novos ministros do STJ no palco

Porto Velho, RO - A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira, 13, para investigar se o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) incitou atos golpistas.

O pedido é para incluir Bolsonaro no inquérito sobre a autoria intelectual dos protestos violentos que ocorreram no último domingo, 8, na Praça dos Três Poderes.

A iniciativa atende a um pedido feito por cerca de 80 procuradores e subprocuradores da República. Eles acusaram uma atuação sistemática do ex-presidente para colocar em dúvida a segurança das urnas e do processo eleitoral.

A representação foi enviada ao procurador-geral da República, Augusto Aras, que vinha sendo pressionado internamente a tomar medidas mais duras sobre o ex-presidente.

O documento cita o vídeo, publicado por Bolsonaro no Facebook e apagado minutos depois, com suspeitas infundadas sobre a lisura das eleições. A publicação foi feita na quarta-feira, 11, ou seja, depois que bolsonaristas radicais haviam invadido os prédios dos Poderes.

O pedido para incluir Bolsonaro na investigação foi feito pelo subprocurador-geral da República Carlos Frederico Santos, escalado por Aras para chefiar o recém-criado Grupo Estratégico de Combate aos Atos Antidemocráticos, que vai coordenar as investigações sobre os atos golpistas.

"Não se nega a existência de conexão probatória entre os fatos contidos na representação e o objeto deste inquérito, mais amplo em extensão. Por tal motivo, justifica-se a apuração global dos atos praticados antes e depois de 8 de janeiro de 2023 pelo representado [Bolsonaro]", afirma.

(em atualização).

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem