Trending

Grupo D deve ter atual campeã França dominante

Dinamarca, Tunísia e Austrália disputarão a outra vaga para oitavas

Porto Velho, RO - Mesmo chegando à Copa do Catar com desfalques importantes, como os meio-campistas Paul Pogba e N'Golo Kanté, a expectativa é de que a atual campeã mundial França seja dominante no Grupo D. Com isso, Dinamarca, Tunísia e Austrália devem disputar entre si a outra vaga da chave para oitavas de final da competição.

França

A atual campeã do mundo chega à Copa como uma das favoritas ao título. Os destaques da equipe comandada pelo ex-jogador Didier Deschamps são os atacantes Kylian Mbappé (PSG) e Karim Benzema (Real Madrid) - atual melhor jogador do mundo segundo a revista France Football -, além do goleiro e capitão Hugo Lloris (Tottenham).


Ocupando a quarta posição do ranking de seleções da Fifa, os franceses querem chegar ao tricampeonato mundial no Catar. Além do título na Copa da Rússia (2018), a França também foi campeã no ano de 1998, oportunidade na qual sediou o evento. Naquela campanha as estrelas foram o meio-campista Zinedine Zidane e o lateral-direito Lilian Thuram.

Dinamarca

A Dinamarca desembarca no Catar como 10ª colocada no ranking de seleções da Fifa. A equipe europeia ganhou evidência na Copa do México (1986), quando ganhou o apelido de Dinamáquina ao vencer, na primeira fase, três adversários difíceis: Alemanha Ocidental, Escócia e Uruguai. Mas, nas oitavas, acabou eliminada ao ser goleada pela Espanha.


No Mundial da França (1998), a Dinamarca chegou às quartas e ficou no 8º lugar, o melhor resultado em uma Copa, após derrota para o Brasil.

Christian Eriksen é o destaque da equipe. O meia-atacante vive um novo momento na carreira após se recuperar de uma parada cardíaca durante jogo contra a Finlândia na última Eurocopa.

Tunísia

Tendo como maior virtude um sistema defensivo forte, a Tunísia chega à Copa do Catar tentando superar pela primeira vez a fase inicial da competição. As Águias do Cartago estão em sua sexta participação em um Mundial.


O técnico Jalel Kadri prioriza, na equipe que ocupa a 30ª posição do ranking de seleções da Fifa, jogadores que atuam no Oriente Médio. Mas a referência técnica é o meia-atacante Wahbi Khazri, que defende o Montpellier.

O ponto alto da história da seleção do norte da África foi a conquista da edição de 2004 da Copa Africana das Nações, quando derrotou o Marrocos por 2 a 1 na grande decisão. Em 2019, a Tunísia voltou a ficar muito perto do título da competição, ao cair apenas nas semifinais.

Austrália

Única representante da Oceania na Copa, a Austrália chega ao Mundial tentando superar os resultados de suas cinco participações anteriores.


No Mundial da Alemanha (2006) os australianos tiveram o melhor desempenho em uma Copa, alcançando as oitavas de final, quando foram eliminados pela Itália. Nas outras quatro edições, os Socceroos sequer ultrapassaram a fase de grupos.

Em relação aos convocados para disputar o Mundial no Catar, o destaque é Andrew Redmayne, que ficou conhecido como goleiro dançarino por ficar saltitando nas cobranças de pênaltis na repescagem das Eliminatórias, contra o Peru. A equipe da Oceania ocupa a 38ª posição do ranking da Fifa.


Fonte: Agência Brasil

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem