Trending

Professora usa imaginação das crianças na hora de ensinar

Márcia Berturci já foi ganhadora do prêmio Boas Práticas por dinamismo em sala de aula

Porto Velho, RO -
Contos de fadas, brincadeiras, pinturas, músicas, recortes e contação de histórias. É assim que a professora Márcia Berturci desenvolve suas aulas na educação infantil, na Escola Municipal Professora Laudicéia Maria Lisboa. A educadora foi vencedora do Prêmio Boas Práticas em 2019 por levar conhecimento aos alunos de forma dinâmica.

A professora dá aulas há 25 anos

"Dar aula é um trabalho solitário, já que fazemos sozinhos em sala de aula, só para os alunos. E esse prêmio nada mais é do que garantir reconhecimento da administração municipal, principalmente na educação, pelo trabalho desenvolvido com empenho e sucesso. É importante você divulgar sua forma de trabalho para inspirar outros profissionais”, falou Márcia.

A professora, que atua na área há quase 25 anos, dá aulas a crianças de 5 a 6 anos em turmas do Pré II. Para ela, alunos dessa faixa etária necessitam de atividades que trabalhem a criatividade para desenvolverem o aprendizado fundamental para a alfabetização.

Foi pensando nisso que a educadora criou o projeto Pirata Legal, que recebeu o prêmio Boas Práticas em 2019. Na ideia, os alunos foram enriquecidos com conhecimentos sobre o meio ambiente, fauna e flora, sobre o Rio Madeira e sistema monetário, bem como ainda aprenderam a ler e criar mapas e lunetas, e desenvolveram trabalhos em equipe de caça ao tesouro. Tudo isso de forma lúdica, criativa e dinâmica.

As dinâmicas envolvem pinturas, recortes e até música

O concurso, coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), tem o objetivo de reconhecer e valorizar as práticas pedagógicas dos professores da rede municipal de ensino, o que inspirou a professora Márcia a continuar desenvolvendo atividades dinâmicas em sala de aula na hora de ensinar.

“Acredito que a brincadeira é o que encanta a criança, e para eles o encantar é a base para a aprendizagem. A cada vez que eles escrevem, interagem ou recortam, eles trabalham o lúdico, coordenação motora, o social, a fala e a imaginação. Pra eles pode ser uma brincadeira, mas com certeza estão aprendendo muito mais do que aprenderiam se eu só passasse conteúdo em papel”, contou a professora.


Fonte: Prefeitura de Porto Velho

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem