Trending

Escola Municipal promove ação de combate à exploração sexual infantil no Ministério Público


Alunos da rede municipal visitaram o órgão

Porto Velho, RO - O dia 18 de maio marca o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Para marcar a data e ampliar o debate junto à comunidade, a Prefeitura, em parceria com o Ministério Público de Rondônia (MPRO), promoveu uma visita de alunos da Escola Municipal São Pedro à instituição.

As ações têm o objetivo de incentivar a prevenção e o enfrentamento desse grave problema. “É importante apresentarmos os cuidados que alunos e pais precisam tomar, estando atentos a qualquer comportamento diferente. Como profissionais da educação, somos responsáveis por fiscalizar e proteger nossas crianças e adolescentes. Faz parte da nossa política de educação promover ações sociais e inclusivas durante essas datas sazonais", comentou a secretária municipal de educação da Semed, Gláucia Negreiros.

A Escola São Pedro fica localizada no bairro Pedrinhas em Porto Velho e atende cerca de 360 alunos do ensino infantil e básico. Os alunos do 3º ano fundamental tiveram a oportunidade conhecer de perto a promotoria e toda a estrutura física de combate à exploração sexual de crianças.

“Durante o encontro foi explicado que o abuso sexual deixa não só sequelas físicas, mas também emocionais e é preciso ter cuidado e saber identificar o
perfil de um possível abusador, pois na maioria dos casos é uma pessoa da família ou muito próximo a ela, que se aproxima da criança ou adolescente para ganhar confiança e afeto”, explicou Eni Guimarães, diretora da escola São Pedro.


Justiça e comunidade escolar discutiram estratégias de combate à exploração

AJUDA

Considerando que a escola é um local de segurança para crianças e adolescentes, abordar o tema é de fundamental importância. Segundo a Promotoria de Infância e Juventude, a escola contribui ao informar e ensinar sobre como identificar possíveis situações abusivas.

“Em caso de perceber ou receber qualquer denúncia de situação de violência sexual, a escola auxilia e informa imediatamente ao Conselho Tutelar para ser orientada dos encaminhamentos que devem ser seguidos”, disse Marcília Ferreira da Cunha, promotora de Justiça do MPRO.

CAMPANHA

A data nacional também marca a campanha “Juntos fazemos bonito”, um projeto que busca chamar a atenção da população para o tema e, dessa forma, promover uma importante articulação com as redes de ensino de todos os municípios.

“Disponibilizamos material e incentivamos os alunos a produzir as flores que simbolizam a campanha. Elas são fixadas em pontos estratégicos de todas as cidades, inclusive nas sedes das promotorias de Justiça. As flores representam as crianças e adolescentes, que são frágeis e devem ser protegidas. Trazer as escolas para essa ação fortalece o papel da rede de ensino”, concluiu a promotora do Ministério Público.

O canal para denunciar casos de abusos e exploração sexual de crianças é o Disque 100.


Fonte: Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem