Trending

Biden proíbe importação de petróleo da Rússia como sanção à guerra na Ucrânia


Presidente dos EUA fez o anúncio nesta terça-feira (8)

PORTO VELHO, RO - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira (8) que ordenou um embargo às importações americanas de petróleo e gás russos, a fim de aumentar as sanções impostas à Rússia por causa da invasão à Ucrânia.

"Estamos proibindo todas as importações de petróleo e gás da Rússia", disse Biden a repórteres na Casa Branca. "Isso significa que o petróleo russo não será mais aceitável nos portos dos EUA e o povo norte-americano dará outro golpe poderoso na máquina de guerra de Putin."

Biden previu que os preços subirão ainda mais como resultado da "guerra de Putin", mas prometeu fazer todo o possível para minimizar o impacto sobre o povo norte-americano. Logo após o anúncio, o preço do petróleo tipo Brent disparava 7,14%, cotado a US$ 132,01 (R$ 671,89).

Embora estivesse sob pressão do Congresso dos EUA para proibir as importações do produto russo, Biden também se preocupava com os impactos da medida nos preços internos de combustíveis.

Os Estados Unidos importaram da Rússia mais de 20,4 milhões de barris de produtos brutos e refinados por mês, em média, em 2021, cerca de 8% das importações de combustíveis líquidos dos EUA, segundo a Administração de Informação de Energia (AIE) dos EUA.


Nesta terça, os preços da gasolina nos EUA atingiram um recorde, o comércio de níquel industrial em Londres teve que ser suspenso depois que os preços mais que dobraram em questão de horas. A Shell britânica disse que estava interrompendo todas as compras de petróleo russo, pedindo desculpas por comprar um carregamento na semana passada.

A proibição deve fazer com que os preços da gasolina, que já estão altos, subam mais ainda, afetando diretamente a inflação. Os Estados Unidos também importam carvão da Rússia.

A Rússia é maior exportador mundial de petróleo e gás natural. O país foi submetido a sanções financeiras globais por causa da guerra na Ucrânia, mas até agora suas exportações de energia estavam isentas. ​

Reino Unido eliminará petróleo e derivados russos até final de 2022

O Reino Unido eliminará gradativamente as importações russas de petróleo e derivados até o final de 2022, disse o ministro dos Negócios, Kwasi Kwarteng, nesta terça-feira (8), pedindo às empresas que usem o período para garantir uma transição suave.

"Esta transição dará ao mercado, companhias e cadeias de suprimentos tempo mais do que suficiente para substituir as importações russas, que representam 8% da demanda do Reino Unido", disse Kwarteng no Twitter.

Na segunda-feira (7), o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que seu governo estabeleceria uma nova estratégia de fornecimento de energia à medida que a invasão russa da Ucrânia e a subsequente alta nos preços da energia acelerassem a necessidade de novas fontes de energia e maior autossuficiência.

Também na terça-feira (8), a Comissão Europeia publicou planos para reduzir a dependência da UE do gás russo em dois terços este ano e encerrar sua dependência do fornecimento russo do combustível "bem antes de 2030".

Kwarteng disse que está explorando opções para acabar com as importações britânicas de gás russo, que representam cerca de 4% da oferta no país.

As sanções anunciadas por EUA e Reino Unido, no entanto, devem ter um impacto limitado sobre a economia russa, uma vez que apenas um pequeno percentual das exportações do país vão para esses mercados.


Fonte: Folha de São Paulo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem